Seguidores

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Ah Pois é!...assim não há empregos...

Enviou-me uma amiga e decidi partilhar convosco.
O Ministério da Economia de Espanha estima que se cada espanhol consumir 150€ de produtos nacionais, por ano, a economia cresce acima de todas as estimativas e, ainda por cima, cria não sei quantos postos de trabalho.

Vejamos o que acontece em Portugal

O António, depois de dormir numa almofada de algodão (Made in Egipt),
começou o dia bem cedo, acordado pelo despertador (Made in Japan) às 7 da manhã.
Depois de um banho com sabonete (Made in France) e enquanto o café (importado da Colômbia) estava a fazer na máquina (Made in Chech Republic), barbeou-se com a máquina eléctrica (Made in China).
Vestiu uma camisa20(Made in Sri Lanka), jeans de marca (Made in Singapure) e um relógio de bolso (Made in Swiss).

Depois de preparar as torradas de trigo (produced in USA) na sua torradeira (Made in Germany) e enquanto tomava o café numa chávena (Made in Spain), pegou na máquina de calcular (Made in Korea) para ver quanto é que poderia gastar nesse dia e consultou a Internet no seu computador (Made in Thailand) para ver as previsões meteorológicas.
Depois de ouvir as notícias pela rádio (Made in India), ainda bebeu um sumo de laranja (produced in Israel), entrou no carro Saab (Made in Sweden) e continuou à procura de emprego.

Ao fim de mais um dia frustrante, com muitos contactos feitos através do seu telemóvel (Made in Finland) e, após comer uma pizza (Made in Italy), o António decidiu relaxar por uns instantes.
Calçou as suas sandálias (Made in Brazil), sentou-se num sofá (Made in Denmark), serviu-se de um copo de vinho (produced in Chile), ligou a TV (Made in Indonésia) e pôs-se a pensar porque é que não conseguia encontrar um emprego em PORTUGAL...

3 comentários:

Berenice disse...

Amiga,
Adorei o texto!
É a tal da globalização e seus efeitos colaterais.
O mesmo ocorre no Brasil e, pelo que tenho visto por aqui, também nos USA. Tenho feito algumas compras e quando olho as etiquetas, raramente vejo uma com a marca Made in USA.
Bjs

Lisa disse...

Rsrs...
Lembrei do meu professor de história e o porquê de Portugal não ser uma potência da Europa.
Mas, deve esta assim em todo lugar.
Outro dia vi um homem na porta do supermercado tocando por umas moedas...o friiio era de rachar.

bjs

Francisco Castro disse...

Olá!

ótimo texto que retrata fielmente as procedências dos porodutos que consumimos todos os dias. Isso, evidentemente, reflete totalmente nos indicadores econômicos. Se o país não produzir e exportar tanto quanto ou mais do que importa incrrerá em déficit na balança de pagamentos, o que fará com que diminua o PIB do país. É importar porque temos uma diversidade muito maior de produtos, entretanto, também devemos exportar também porque entra divisas no país e aumenta o produto interno. As importações diminue o produto interno e consome divisas e as exportações aumentam o produto interno e aumenta as divisas.


Abraços

Francisco Castro