Seguidores

domingo, 26 de abril de 2009

Como lida com as suas raivas?

A raiva, em si, é nada mais que uma emoção natural do ser humano, cuja função é de nos alertar quando está havendo alguma agressão e nos dar a energia para reagir e repelir o agente agressor. É uma função necessária à nossa saúde física e emocional - desde que não distorcida e levada noutras direcções.
Ao sentir o começo de uma raiva, podemos respirar fundo dar um tempo e deixar que a coisa passe. O acto de reprimir não faz uma irritação desaparecer, mas a “enterra” no solo de nosso subconsciente onde ela cria raizes e se fortalece.
As pessoas que “reprimem” as suas irritações vão agravando o seu estado irritativo e tude se transforma numa panela de pressão pronta a explodir. Algumas pessoas viram as suas raivas contra si mesmas - raiva reprimida é uma das causas principais de enxaquecas e de depressão. Outras pessoas estouram mesmo - brigando, dizendo ou fazendo coisas das quais podem se arrepender depois.
Há quem lide mal com a raiva e se torne numa pessoa “nervosa” que discute com todo mundo, que está sempre brigando, gritando, sempre achando que o outro é o culpado.
Há ainda a pessoa “ressentida”. Um exemplo típico seria uma pessoa que guarda raiva e ressentimentos do pai, por exemplo, mas que não “trabalhou” estes sentimentos, se libertando. Esta pessoa pode facilmente “projetar” a sua raiva e ressentimento em cima de qualquer outra figura de “autoridade” masculino e passar a colocar defeitos nesta segunda figura - uma pessoa que não tem nada a ver com a história real. Pode viver brigando com a figura de “autoridade” ou, pior ainda, pode declarar uma espécie de guerra do tipo guerilha, fazendo ataques por trás das costas.
E você, como é que você lida com as suas raivas?
Não seja vitima das suas raivas. Vou-lhe dar um conselho bem simples. Partilhe as suas raivas com um ou mais amigos que sejam capazes de ouvir, não precisa de conselhos, só falar,ponha tudo cá para fora, não reprima sentimentos negativos, verá que as raivas se vão aquietando naturalmente, a mente vai - se pacificando, as necessidades de vingança e tudo mais vão caindo por terra e finalmente vai-se sentir em paz.
O que é preciso é não guardar as raivas por forma a que elas dominem a sua vida.

2 comentários:

ICPNI disse...

Amada Emilia, persistir na raiva é como apanhar um pedaço de carvão quente com a intenção de o atirar em alguém. É sempre quem levanta a pedra que se queima.
A paz

Luciana disse...

Olha, Emília, esse é um tema bem interessante.
Lidar com as próprias raivas é mais complexo do que se imagina...
Digo isso porque sendo eu uma pessoa colérica, preciso ter um autocontrole do tamanho do mundo às vezes para neutralizar o destempero e a vontade de explodir.
É difícil e não é por falta de tentativa em mudar.
É algo muito íntimo e não prazeroso de se explicar.
Cabe a cada um tentar, na medida do possível,controlar os seus "monstros" e fazer da vida algo que chegue perto do "convivível" (rsrsrs).

Beijos, ótimo post!