Seguidores

quinta-feira, 26 de março de 2009

Movimento natureza - As árvores




Árvores do Alentejo

Horas mortas? Curvada aos pés do Monte
A planície é um brasido? e, torturadas,
As árvores sangrentas, revoltadas,
Gritam a Deus a bênção duma fonte!

E quando, manhã alta, o sol posponte
A oiro e giesta, a arder, pelas estradas,
Esfíngicas, recortam desgrenhadas
Os trágicos perfis no horizonte!

Árvores! Corações, almas que choram,
Almas iguais à minha, almas que imploram
Em vão remédio para tanta mágoa!

Árvores! Não choreis! Olhai e vede:
- Também ando a gritar, morta de sede,
pedindo a Deus a minha gota de água.



Florbela Espanca

4 comentários:

Joéliton disse...

Oi....estou visitando pela primeira vexx...adorei tudo aki..vou seguí-lo

abraços

Ropiva disse...

Belíssima junção de poesia e o vídeo. Elas merecem! E nós precisamos cuidar muito bem delas.

Abraços

Bruno Luiz A. Paiva disse...

Obrigado pelas dicas no dihitt um forte abraço vou colocar seu blog na minha lista de parceiros posso?


Um abração!!!

Movimento Natureza disse...

MI, legal ter você no Projeto Movimento Natureza. Gostei do video e do poema.

Valeu

Um abraco Georgia