Seguidores

sábado, 7 de março de 2009

Dia Internacional da Mulher - Poema de Florbela Espanca

Para comemorar este dia escolhi um poema de Florbela Espanca, uma grande figura feminina das primeiras décadas da literatura portuguesa do século XX. Florbela retrata na sua poesia uma imensa ternura e um desejo de felicidade e plenitude que é comum a todas as mulheres

Os versos que te fiz

Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que a minha boca tem pra te dizer!
São talhados em mármore de Paros
Cinzelados por mim pra te oferecer.

Têm dolência de veludos caros,
São como sedas pálidas a arder...
Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que foram feitos pra te endoidecer!

Mas, meu Amor, eu não tos digo ainda...
Que a boca da mulher é sempre linda
Se dentro guarda um verso que não diz!

Amo-te tanto! E nunca te beijei...
E nesse beijo, Amor, que eu te não dei
Guardo os versos mais lindos que te fiz!

Florbela Espanca

3 comentários:

Susana disse...

Feliz dia da mulher, para ti também! Adorei o poema, principalmente por ser da poetisa que eu mais admiro!


Um abraço, Susana

ju rigoni disse...

Florbela é sempre uma bela escolha, Emília!

E torçamos para que possamos viver num mundo mais justo, mais humano. Nós merecemos.

Bom demais voltar por aqui. Aos poucos, vou conseguindo retomar as visitas aos amigos.

Grande beijo, amiga. Inté!

Paulo Pinto Pereira disse...

OI, Emília!
Linda poesia.
Para nós, homens, o dia da mulher é todo dia, pois não há um só dia que se consiga viver sem estar perto de vocês!
Bjs.