Seguidores

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Ankh

Ankh é o antigo símbolo e hieróglifo que significa “vida” A forma do ankh assemelha-se a uma cruz com a haste superior vertical substituída por uma alça ovalada. A alça oval que compõe o ankh sugere um cordão entrelaçado com as duas pontas opostas que significam os princípios feminino e masculino fundamentais para a criação da vida.
Noutras interpretações, representa a união entre as divindades Osíris e Ísis, que proporcionava a cheia periódica do Nilo fundamental para a sobrevivência da civilização. Neste caso, o ciclo previsível e inalterável das águas era atribuído ao conceito de reencarnação, uma das principais características da crença egípcia.
A linha vertical que desce exactamente do centro do laço é o ponto de intersecção dos pólos, e representa o fruto da união entre os opostos. O ankh era usado pelos antigos egípcios como amuleto protector.
Assim, o ankh vermelha indicava a vida e a regeneração, uma azul a fertilidade, a ankh verde estava ligada à cura, a branca á pureza ritual e era assim utilizada em objectos de ankh rituais, e a preta ressurreição da morte.
Hoje em dia, a ankh é ainda utilizada pela Igreja Copta no Egipto, como símbolo da cruz, chamando-se cruz ansata.
No final doséculo XIX, o ankh foi agregado pelos movimentos ocultistas que se propagavam, além de alguns grupos esotéricos e as tribos hippies do final da década de 60. É utilizado por bruxos contemporâneos em rituais que envolvem saúde, fertilidade e divinação; ou como um amuleto protector de quem o carrega
O ankh também foi incluído na simbologia da Ordem Rosa – Cruz representando a união entre o reino do céu e a terra. Noutras situações, está associado aos vampiros em mais uma atribuição à longevidade e imortalidade.
O ankh popularizou-se no Brasil no início dos anos 70 quando Raul Seixas e Paulo Coelho (entre outros) criaram a Sociedade Alternativa . O selo dessa sociedade possuía um ankh adaptado com dois degraus na haste inferior, simbolizando os "Degraus da Iniciação", ou a chave que abre todas as portas. Numa outra interpretação, representa o laço da sandália do peregrino, ou seja, aquele que quer caminhar, aprender e evoluir.
O ankh não sofreu grandes variações no seu significado e emprego primitivo, embora tenha sido associado a várias culturas diferentes. Mesmo assim foi-lhe atribuído um carácter negativista por aqueles que desconhecem a sua origem e significados reais, associando este símbolo, erradamente, a grupos e seitas satânicas ou de magia negra.
Fonte: Wikipédia e Cadernos de História da Arte

4 comentários:

Sandra Cantii disse...

Que coisa Emilia, desconhecia o fato da ankh é ainda utilizada pela Igreja Copta no Egipto e principalmente da sua popularidade aqui no Brasil na decada de 70.
Será que a música Sociedade Alternativa esta ligada diretamente a este fato?
Adoro essas coisas relacioanda ao Egito..
Abraços
sandra cantii

Ropiva disse...

Boa tarde, Emília!
Passei pra avisar que tem um selo pra ti no Curiosando.

Abraços e ótimo domingo! ;-)

Ju Rigoni disse...

Oi, Emília! Saudades. Hoje, domingo, já atualizei dois dos meus blogues, e estou passeando com calma pela net. Visitando os amigos.

Adorei esse post! Eu já fui bem "riponga", sabe? E, daquela época, eu me lembro que todo mundo do meu grupo andava com um ankhno pescoço. Usávamos um cordão de tecido brilhoso, - um cordonê - onde se pendurava o famoso símbolo "paz e amor" e o ankh, - juntinhos para trazer sorte. Sessão nostalgia para mim. rsrs

Bjs, querida, e inté!

Paulo Pinto Pereira disse...

Esse foi um dos simbolos deixados pela cultura egipcia e ainda não entendido de forma adequada por nós. A leitura do Livros dos Mortos pode revelar mais algumas coisas, mas o entendimento real do significado da simbologia é só para iniciados...
Abraços!