Seguidores

domingo, 9 de novembro de 2008

Como interpretar uma obra de arte


Joan Miró

Deixou-me um leitor o seguinte desafio” Será um leigo capaz de aprender a interpretar uma obra de arte?”

O conceito de obra de arte é muito polémico e não há uma definição precisa.
Eu definiria obra de arte como sendo uma obra única, original e que perdura no tempo.
Para Pablo Picasso “ Arte não é a aplicação de uma regra de beleza, mas daquilo que o instinto e o cérebro podem conceber além de qualquer regra”.
Marcel Duchamp


Para Marcel Duchamp um dos mais influentes artistas da arte moderna, tudo pode ser arte desde que: 1º o artista afirme que aquilo é arte, 2º que um especialista confirme o acto, 3º que o local onde será exposto seja conhecido como local para expor obras de arte.
Temos o exemplo da roda de bicicleta e da lata de sopa campbel, que desinseridas do contexto para que foram criadas e colocadas num museu passam a usufruir do estatuto de obra de arte.

A arte contempla várias formas de expressão, uns exprimem-se através da música outros da dança outros da pintura.
Em cada uma destas formas de expressão há regras que são usadas pelos artistas de forma arbitrária.

A pintura obedece a determinados conceitos, conhecidos como conceitos estruturais da linguagem plástica, que aliados, à técnica e à criatividade produzem a obra.

A arte é para ser fruída e não entendida. Dizia Freud a propósito deste assunto” as maiores criações de arte são incompreensíveis e constituem verdadeiros enigmas. Esse estado de perplexidade intelectual pode ser condição necessária para a fruição da obra de arte.

René Magritte


O problema de interpretação de uma obra de arte não se põe com a pintura figurativa, essa todos julgam entender, a questão põe-se com mais evidência perante uma obra abstracta

Quando vamos a um concerto ninguém questiona se vamos saber ou não interpretar a obra, e contudo as notas musicais são o que há de mais abstracto.

No caso das artes visuais o fundamental é aprender a ver, contemplar e tentar apreender à sua maneira, para podermos ser receptores da mensagem do artista.
No caso da pintura moderna e contemporânea é preciso haver um entrosamento do espectador com a obra, é ir além da busca da beleza, é dar um salto no desconhecido, só assim veremos mais do que um jogo de linhas, formas e cores

Tapiés

6 comentários:

João disse...

Emilia,

A interpretação artística torna-se subjectiva consoante a visão pessoal do espectador,apesar de contar certos elementos estruturantes de cada arte.
É um saber que aprende-se também,para aprofundar-se o gosto de pensar.

Abraço amiga,
joao

Ropiva disse...

Esse é o fascínio da arte. O artista expõe os motivos que o levaram a fazer tal obra, mas cada um pode ter sua interpretação em particular, que necessariamente não precisa "combinar" com a descrição do artista.
Parabéns pelo artigo.

Abraços e ótima semana pra ti.

joselito bortolotto disse...

Emilia,

Confesso, sou um total "analfabeto" em questão de arte, não sou capaz de diferenciar o que realmente seja uma obra de arte de um objeto comum. Mas, tem coisas que gosto, que me chama atenção e outras não, então arte pra mim é muito particular.

Margareth Bravo disse...

Olá amiga!
Técnicas,interpretações e críticas à parte, a obra de Arte se revela quando nos arrebata e nos leva à reflexão, ao longo da história os conceitos sobre Arte vêm se transformando e aquilo que antes era banido, passa a ser incluído e como todas a s coisas a Arte também evolui em conceitos e possibilidades. Cito como exemplo artistas que foram criticados e relegados em sua época e consagrados após a morte ou anos de luta, como a bailarina Isadora Ducan, o pintor Van Gogh, entre tantos outros. Independente de qualquer critério acadêmico, a Arte é o ápice da expressão humana,signo, símbolo, linguagem insconsciente, a festa do espírito humano, sendo uma espécie de orgasmo da alma! Adorei o post!
Um beijo

Daniela Figueiredo disse...

Oi, Emília:

Gosto muito de pinturas, fotografias, diversos tipos de arte. Mas não sou especialista no assunto.
Acho que não saberia interpretar uma obra corretamente. Interpreto conforme o momento que estou
vivendo. Nem sempre uma obra nos "toca", nos sensibiliza. O que é considerado arte para um, pode
ser interpretado como simples rabiscos para o outro. Tem obras que mostram o óbvio, mas outras
que são um mistério.
Beijos.

Jorge Fortunato disse...

Olá Emília,
A arte ganha diferentes interpretações pois as pessoas são diversas e, de acordo com cada cultura, diferentes opiniões. Não há conceito, técnica o olhar é individual e isso é o mais interessante. Gosto de ir nos museus e fico observando os monitores, fazendo mil explicações, sobre as obras o momento do artista, etc. Não critico, mas acho que cada pessoa tem o seu modo de ver a arte. Assim como Duchamp diz "tudo pode ser arte desde qu o artista afirme que aquilo é arte". Parabéns pelo ótimo post.
E como tem gente do Porto hein?
Ainda não conheço, mas quando voltar a Portugal vai ser uma das cidades a descobrir.
Abraço
Jorge