Seguidores

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Moçambique, onde aprendi mais do que ensinei


Novembro de 2002 – integrada num grupo de professores de ensino artístico, fui para Maputo criar um curso e fazer formação de formadores. Na ENAV (Escola Nacional de Artes Visuais) onde estive a trabalhar, aprendi mais do que ensinei. De Moçambique, trouxe o verdadeiro conhecimento e sentido das palavras solidariedade, partilha, humanidade, confraternização.



Alunos da ENAV


Pinturas dos alunos para esconder o mau estado das paredes

Professores em formação



Meninos de um centro comunitário onde o grupo trabalhou


largo do centro comunitário



Ceramistas que tive o prazer de conhecer


Peça de cerâmica exposta no Museu de Maputo





Peças de atelier de cerâmica



Momentos de confraternização após um dia de trabalho






4 comentários:

michellniero disse...

Que coisa linda, Emilia. Aprendo todos os dias com meus amigos de Moçambique. São pessoas formidáveis, atenciosas, extremamente inteligentes e divertidas. São amigos virtuais, é verdade, mas sinceramente espero que um dia eu possa visitar Maputo para conhecer de perto esse país tão cheio de histórias e belezas que é Moçambique. Meus parabéns, e se quiser compartilhar suas experiências em meu site, será uma honra.

www.opatifundio.com

Brisa disse...

Que beleza!!
Maravilhoso!
Uma lição de vida!!
Abraços

Alterado disse...

Que linda mensagem Emília , levar o seu amor a arte a pessoas com uma realidade com um colorido ofuscado pelas dificuldades.

Obrigado por compartilhar isto conosco , nós também aprendemos com estas fotos .

Abraços

Jorge Fortunato disse...

Olá Emília
Que experiência bacana que vc viveu. é muito bom poder conhecer novas culturas e aprender. Um abraço
Tem um selo MANEIRO para vc lá no Acabou o caviar?
Abraço
Jorge